Na primavera de 2020, o Presidente Nelson disse: “Que imploremos em oração para termos alívio dessa pandemia mundial. Convido a todos, inclusive os que não são membros de nossa Igreja, a jejuar e orar (…) para que esta pandemia seja controlada, que os cuidadores sejam protegidos, que a economia seja fortalecida e a vida normalizada.” Nós oramos. Nós jejuamos. Como seria uma resposta a essa oração mundial?

Deus pode responder às orações inspirando cada um de nós, usando nossos talentos e habilidades únicas. Deus pode realizar milagres de cura por meio de médicos e cientistas inspirados. O Presidente Nelson contou histórias de como foi inspirado a propor novos tratamentos como médico, muito antes de ser líder em nossa Igreja[1]. Eu senti a inspiração de Deus em minha própria carreira científica. Quando o Presidente Nelson foi vacinado, ele disse: “Oramos frequentemente por esta dádiva literalmente divina”. Essas vacinas podem ser o fim milagroso dessa pandemia. Mas a vitória sobre o coronavírus precisa de nossa participação. Aprendemos sobre milagres que exigem nossa participação na Bíblia em 2 Reis, capítulo 5.

Naamã foi acometido por lepra. Uma empregada israelita disse-lhe que o profeta Eliseu poderia curá-lo. Naamã correu até Eliseu para pedir um milagre. Eliseu disse a Naamã para ir se lavar sete vezes no rio Jordão. Naamã ficou com raiva e foi para casa. Ele não queria entrar naquele rio sujo. Ele esperava um tipo diferente de milagre. Mas um servo ajudou Naamã a entender sua parte no milagre. Quando Naamã se lavou sete vezes no rio Jordão, ele foi curado[2].

Como o Presidente Nelson, acredito que essas vacinas são a resposta às orações mundiais. Vejo a velocidade recorde em que as vacinas foram desenvolvidas e produzidas como milagrosa. Cientistas e médicos foram inspirados a trabalhar juntos em colaboração mundial. Eles foram inspirados por ideias. Como cientista, posso ver que, se todos nós tomarmos essas vacinas, nosso sofrimento com a pandemia terminará.

Mas muitos têm receio de tomar as vacinas. Como Naamã, olhamos para o rio e dizemos: “Porque? Como?” É normal ter perguntas sobre uma nova vacina. É aqui que me sinto inspirada a ajudar, a tornar a água lamacenta menos intimidante. Isso ajuda a compreender o milagre pelo qual estivemos pedindo e o inimigo contra o qual lutamos.

O coronavírus é como um exército nos invadindo. Seu objetivo é assumir o controle de nossos corpos para fortalecer seu exército. Nossos sistemas imunológicos são os exércitos defensivos de nosso corpo. Seu trabalho é identificar invasores e impedir que assumam o controle. Um vírus não pode se multiplicar sozinho. Precisa infectar as pessoas para sobreviver e construir seu exército. Cada vez que um vírus infecta alguém, ele produz milhões de outros vírus. Em nosso corpo, um vírus pode sofrer mutação para produzir variantes mais mortais, mais infecciosas ou capazes de causar doenças graves em pessoas mais jovens. Quando somos infectados, nossos corpos estão trabalhando para o vírus, até que nosso sistema imunológico possa detê-lo.

Se o coronavírus não for interrompido por nosso sistema imunológico, ele assumirá o controle dos órgãos, de modo que eles não podem funcionar adequadamente. As infecções por coronavírus podem causar falhas nos pulmões, rins, coração e fígado. As infecções por coronavírus podem causar acidentes vasculares cerebrais. Em casos leves de Covid-19, o coronavírus pode causar muitos sintomas, incluindo fadiga de longo prazo, perda de paladar e cheiro por meses, formação de coágulos sanguíneos e queda de cabelo dois a cinco meses após a infecção [3] [4] [5] [6].

Assim que uma infecção é detectada, o sistema imunológico constrói um exército defensivo. Isso leva tempo, então somos infecciosos antes de sentirmos os sintomas. Nossos corpos podem aumentar a temperatura corporal para prejudicar o vírus. Vírus diferentes têm casacos ou uniformes diferentes. Se nosso sistema imunológico não encontrou uma capa de vírus antes, nada consegue fazer para impedi-lo. Não tem as ferramentas certas para desmantelar o vírus. Nosso sistema imunológico precisa de um aviso para reconhecer a ameaça.

As vacinas ensinam nosso sistema imunológico a reconhecer uma decoração no uniforme do vírus. As vacinas de RNA (Moderna e Pfizer) são as instruções para fazer com que essa decoração do uniforme seja escrita na própria linguagem de nosso corpo. Nosso corpo está cheio de RNA. As instruções do RNA se quebram em algumas horas. É como uma foto instantânea do inimigo. Em seguida, nosso sistema imunológico constrói o exército defensivo: as células imunológicas detectam e destroem o vírus e produzem anticorpos para impedir que um vírus nos infecte.

Como as vacinas se comparam a outros medicamentos?

Remédios como o ibuprofeno percorrem nosso corpo, baixam a febre e nos ajudam a nos sentir melhor enquanto um vírus continua a danificar nosso corpo, construir seu exército e infectar outras pessoas. Uma vacina está ensinando nosso sistema imunológico a construir ferramentas para desmantelar e destruir o vírus. Nosso sistema imunológico educado é a cura natural.

Como podemos mostrar amor “por um destes pequeninos”?

As vacinas são a melhor defesa que temos contra uma infecção viral. Como a vacina ensina nosso sistema imunológico a destruir o inimigo, as pessoas com sistemas imunológicos mais fracos ainda são vulneráveis à infecção, mesmo depois de serem vacinadas. Essas pessoas incluem mulheres grávidas, idosos, pacientes com quimioterapia e pessoas que tomam medicamentos imunossupressores para tratar doenças autoimunes. Para esses irmãos e irmãs, é especialmente importante que sua comunidade combata o coronavírus por eles[7]. Nós, que temos um sistema imunológico forte, podemos construir as armas para desmantelar o vírus, de modo que ele não possa invadir aqueles que amamos.

Questões sobre a segurança da vacina:

Imagino Naamã olhando hesitante para o rio Jordão e se perguntando se aquela água era segura para ele. O que tornaria uma vacina menos intimidante? Saber o que contém pode ajudar. As vacinas de mRNA incluem instruções sobre como fazer uma decoração de revestimento de vírus, gorduras para ajudar a proteger o mRNA e ajudá-lo a entrar nas células, sais e açúcar. Como sabemos se uma vacina é segura e eficaz? Antes de serem lançadas para o público dos EUA, as vacinas Pfizer, Moderna e Johnson & Johnson mostraram-se seguras em animais[8] [9] [10] [11]. Cada uma delas demonstrou ser segura em mais de 30.600 pessoas, incluindo aquelas que estão em risco de desenvolver um caso grave de Covid (56-90 anos de idade) [12] [13] [14] [15].

As vacinas Pfizer e Moderna reduziram as infecções por coronavírus em cerca de 90% em três hospitais que testaram as taxas de infecção após a vacinação, independentemente dos ensaios clínicos [16] [17]. Podemos ter ficado ansiosos quando soubemos que as vacinas Johnson & Johnson estavam associadas a coágulos sanguíneos em seis das quase 7.000.000 pessoas vacinadas. É 300 vezes mais provável que seja atingido por um raio do que um coágulo sanguíneo com a vacina Johnson & Johnson. Os coágulos sanguíneos não foram associados à vacinação pelas vacinas Moderna ou Pfizer em mais de 200 milhões de doses administradas apenas nos Estados Unidos[18]. A pausa na administração da Johnson & Johnson para seis pessoas me dá a confiança de que o FDA interromperá a implantação de qualquer vacina se houver qualquer dúvida sobre a segurança.

Quando os dados sobre a eficácia das vacinas Pfizer e Moderna foram divulgados pela primeira vez, senti que era o fim da pandemia pela qual estávamos orando e senti que isso foi confirmado pela declaração da igreja[19]. Ajudar as pessoas a entender essas vacinas parecia o motivo da orientação profissional que está em minha bênção patriarcal. Fui inspirado por ideias sobre como comunicar conceitos difíceis. Tem sido difícil trazer minha mente de volta para minha carreira ou qualquer outra coisa desde dezembro. Ao responder às perguntas das pessoas que amo, percebi que poderia ser mais útil se compartilhasse as apresentações em minha Ala, minha Estaca, nas escolas dos meus filhos e nas bibliotecas públicas. As pessoas pediram que eu gravasse minhas apresentações para compartilhar. (Eles podem ser encontradas aqui abaixo das Perguntas e Respostas)

Perguntas e Respostas

A vacina Covid-19 afeta a fertilidade? Mulheres engravidaram durante os ensaios clínicos das vacinas Moderna, Pfizer e Johnson & Johnson[20]. Os bebês dessas gestações já nasceram com anticorpos que podem proteger os bebês da Covid-19[21]. Essas vacinas não esterilizam uma mulher. Para mais informações sobre as vacinas Covid-19 na fertilidade, gravidez e amamentação: https://youtu.be/1DjGCz5a7OI 

A vacina pode ser usada para me rastrear? A internet, sites de mídia social, dispositivos GPS e telefones inteligentes nos rastreiam. Os microchips atualmente disponíveis para rastreamento não são pequenos o suficiente para passar pela agulha que é usada para vacinações. Essas vacinas não podem nos rastrear.

Quais são os efeitos colaterais das vacinas Covid-19? É comum sentir dor no local da injeção conforme as células do sistema imunológico correm para a área para “aprender” sobre o inimigo por meio da mensagem instantânea do chat. Nosso sistema imunológico também pode aumentar nossa temperatura, ou podemos nos sentir cansados e com dores por um ou dois dias. Isso pode ocorrer quando nosso corpo constrói um exército defensivo contra uma nova ameaça. Esses são sinais de uma resposta imunológica saudável, não de doença. A maioria das pessoas não apresenta efeitos colaterais além de dor no local da injeção.

Como sabemos se algo ruim aconteceu por causa da vacina ou alguma outra causa? Derrames e morte ocorrem em todo o mundo todos os dias. Esses eventos são trágicos e assustadores. Quando uma pessoa teve um derrame ou outro problema de saúde poucas semanas após ser vacinada, nos perguntamos se a vacina pode ter causado o derrame. A frequência desses problemas de saúde em pessoas vacinadas não é superior à frequência desses eventos em pessoas não vacinadas. Na verdade, como a vacina previne a Covid-19 e a Covid-19 causa derrames, é mais provável que uma pessoa tenha um derrame ou morra se não for vacinada.

Como posso saber em quem confiar sobre as informações sobre vacinas? Os artigos científicos são “revisados por pares”. Isso significa que os dados e o artigo são examinados cuidadosamente por pessoas que não têm interesse monetário ou outro interesse pessoal no artigo que está sendo publicado. Os artigos devem passar por esses críticos antes de ser publicados. Vinculei pesquisas primárias que passaram por essas críticas neste artigo. Também podemos ter certeza de que nosso Profeta, que tem treinamento médico formal e uma forte carreira científica, estava bem preparado para receber orientação durante esse período específico. Deus inspira as pessoas a realizarem milagres na Terra.

Ver também:

A Dra. Emily Bates é uma mãe santa dos últimos dias que serviu uma Missão em Genebra, Suíça. Inspirada por orientação profissional em sua bênção patriarcal, Emily obteve seu bacharelado em Biologia pela Universidade de Utah e seu doutorado no programa de Ciências Biomédicas e Biológicas da Harvard Medical School. Ela ensinou biologia celular e molecular como professora na Harvard College e farmacologia na UCSF. Como professora do Departamento de Química e Bioquímica da BYU, Provo, ela recebeu um prêmio por desenvolver um currículo para um curso de laboratório de RNA e DNA. O Dr. Bates é atualmente professor do Departamento de Pediatria da Escola de Medicina da Universidade do Colorado.


[1]https://byustudies.byu.edu/article/discovering-a-surgical-first-russell-m-nelson-and-tricuspid-valve-annuloplasty/

[2] Bíblia, 2 Reis, capítulo 5. Disponível em: https://www.churchofjesuschrist.org/study/scriptures/ot/2-kgs/5?lang=por

[3] https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32390279/

[4] https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33316115/

[5] https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/symptoms-testing/symptoms.html

[6] https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32217835/

[7]https://www.npr.org/sections/health-shots/2021/02/18/967462483/how-herd-immunity-works-and-what-stands-in-its-way

[8] https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32722908/

[9]https://www.fiercebiotech.com/research/pfizer-biontech-report-strong-immune-response-animals-to-covid-19-mrna-vaccine-candidate

[10]https://nprc.org/research/the-monkeys-behind-covid-19-vaccines/#:~:text=As%20announced%20in%20November%202020,track%20for%20emergency%20FDA%20approval

[11] https://www.nature.com/articles/s41591-020-1070-6

[12] https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33301246/

[13] https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33882225/

[14] https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33378609/

[15] https://www.fda.gov/media/146217/download

[16] https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMc2102153

[17] https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMc2101927

[18] https://covid.cdc.gov/covid-data-tracker/#vaccinations

[19] https://newsroom.churchofjesuschrist.org/article/church-leaders-covid-19-vaccine

[20]https://www.uchicagomedicine.org/forefront/coronavirus-disease-covid-19/mrna-covid-19-vaccine-pregnancy-breastfeeding

[21]https://news.harvard.edu/gazette/story/2021/03/study-shows-covid-19-vaccinated-mothers-pass-antibodies-to-newborns/